Em dia de feriado nos EUA, Ibovespa fecha estável

23 de novembro de 2017 Por Redação

Atualizado às 18h24min

O Ibovespa fechou estável (-0,04%) nesta quinta-feira, 23, aos 74 mil 486 pontos.

Cemig (CMIG4) liderou os ganhos do Ibovespa depois de anunciar que contratou a Itaú Corretora para vender units da Taesa, dentro de seu programa de desinvestimento.

Csn (CSNA3), Metalúrgica Gerdau (GOAU4) e Gerdau (GGBR4) também estiveram entre os maiores ganhos.

A Vale (VALE3) se valorizou 1,3% e na semana os papéis já registram alta de 6,9%. As ações do setor subiram após os contratos futuros do minério de ferro na Bolsa de Dalian, na China, registrarem alta 3% (507,5  iuanes) nesta quinta.

Em âmbito internacional o destaque negativo nesta quinta no mercado acionário foi a China. Preocupações com a venda generalizada de títulos no gigante asiático levaram a Bolsa de Xangai a ter queda de mais de 2%. Os investidores  no mercado acionário avaliam as novas regras do governo em Pequim para regulamentar os negócios de gestão de ativos, que exigem que as instituições financeiras estabeleçam limites de alavancagem.

Também contribui para o desempenho do mercado brasileiro o feriado do dia de Ação de Graças nos Estados Unidos. Com as Bolsas americanas fechadas, o volume de negócios foi bem menor no Brasil.

Maiores altas do Ibovespa

2311altas

Maiores quedas do Ibovespa

2311baixas

 

Prévia da inflação oficial no acumulado até novembro é a menor desde 1998

A prévia de novembro da inflação oficial do país, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo -15 (IPCA-15) desacelerou ligeiramente ao fechar em 0,32%, resultado 0,02 ponto percentual inferior ao de outubro. Em novembro de 2016, o IPCA-15 havia sido de 0,26%.

Os dados relativos ao IPCA-15 foram divulgados hoje (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano, o IPCA-15 acumula alta de 2,58%, inferior aos 6,38% do mesmo período de 2016 e o  menor acumulado para um mês de novembro desde o índice de 1,52% registrado em 1998.

O acumulado nos últimos 12 meses ficou em 2,77%, acima dos 2,71% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Mercado de olho na reforma da Previdência

Os investidores e traders estão de olho nas negociações envolvendo a reforma da Previdência.

Na noite desta quarta-feira, 22, o tema foi novamente debatido durante jantar no Palácio da Alvorada, reunindo o presidente da República, Michel Temer, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro Henrique Meirelles, governadores e parlamentares da base aliado do governo.

No encontro, o Planalto tentou convencer sua base da importância de votar o projeto ainda este ano.

Houve alteração no texto da reforma da Previdência. O tempo mínimo de contribuição na proposta original era de 25 anos. Agora, vai passar para 15. Porém, quem contribuir por 15 anos e atingir a idade mínima receberá 60% do teto da aposentadoria.

Segundo Henrique Meirelles, com os ajustes na reforma da Previdência haverá uma economia aos cofres públicos de 60% do que era previsto na proposta original do governo. Conforme o ministiro, o montante a ser economizado em dez anos seria R$ 780 bilhões.

Leia também:

Novo texto mantém idade mínima de 65 para homens e 62 para mulheres

Eneva compra campo de Azulão da Petrobras por US$ 54,5 milhões

Cemig contrata Itaú Corretora para vender units da Taesa

Desdobramento da Localiza, notícia da PDG, e outros destaques

Cade estende prazo de análise do processo de venda da Liquigás

BRF tem novo CEO global

 

 

 

Sua opinião é importante

Se você viu algum erro na reportagem ou se quiser fazer um comentário (sugestão, crítica) para que possamos aprimorar nosso serviço, escreva para reportagem@financenews.com.br