MANCHETE SECUNDÁRIA

Petrobras irá fazer parada programada de plataforma e gasoduto

 

Publicado às 20h16

 

A Petrobras (PETR3, PETR4) informou na noite desta sexta-feira, 4, que iniciará em 15 de agosto a parada programada de 30 dias para manutenção da plataforma de Mexilhão e do gasoduto Rota 1, que escoa o gás natural produzido em Mexilhão e em outras plataformas do pré-sal e pós-sal da Bacia de Santos. 

Segundo a estatal, a intervenção na Plataforma de Mexilhão e no gasoduto Rota 1 foi planejada com vários meses de antecedência, considerando a sua complexidade e a necessidade de contratação de bens e serviços e coordenação da disponibilidade dos recursos necessários à sua realização. 

“A parada possibilitará a manutenção preventiva e a realização de melhorias nas instalações, garantindo a continuidade e a segurança nas operações de escoamento e fornecimento de gás natural”, afirmou a petroleira. 

Sobre a parada, a Petrobras destacou: 

  • Realização de inspeção de equipamentos NR-13 (Norma Regulamentadora sobre inspeção de segurança e operação de vasos de pressão, caldeiras e tubulações) e SPIE (Serviço Próprio de Inspeção de Equipamentos), que devem obedecer a prazos máximos designados pela norma.
  • Atendimento às Recomendações de Inspeção Críticas com vencimentos a partir de agosto de 2021. Essas intervenções são em equipamentos necessários para o processo de produção e entrega de gás e demandam a interrupção dos sistemas aos quais estão associados, requerendo a parada das operações da plataforma para execução segura dos serviços planejados.
  • Parte importante das atividades referem-se a componentes internos aos equipamentos em operação e sem acesso para inspeção ou ensaios, dessa forma a postergação da intervenção pode levar a riscos operacionais ou a paradas não programadas, prejudicando ainda mais o escoamento de gás para UTGCA – Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba.

A petroleira estatal afirmou que a parada programada não pode ser adiada, pois visa à segurança operacional e ao cumprimento de prazos normativos. 

A companhia informou que notificou os clientes sobre a parada, nos termos contratualmente estabelecidos, e segue adotando ações para mitigar impactos no fornecimento de gás durante a parada. 

A Petrobras salientou que as soluções envolvem: 

  • Ampliação da capacidade do Terminal de Regaseificação da Baía de Guanabara de 20 milhões para 30 milhões de m³/dia;
  • Reposicionamento de navio regaseificador do Terminal de Regaseificação de GNL de Pecém para o Terminal da Bahia (TRBA), com capacidade de ofertar mais 14 milhões m³/dia;
  • Posicionamento no mercado de cargas e navios supridores de GNL;
  • Negociação de novo contrato interruptível de incremento temporário da importação da Bolívia. Como medida adicional, a Petrobras irá conciliar a manutenção da Plataforma de Mexilhão e do Gasoduto Rota 1 às paradas programadas de usinas termelétricas próprias e de terceiros, reduzindo assim a demanda por gás natural dessas térmicas no período da parada e aumentando sua disponibilidade de geração no restante do período seco.

“O cronograma de paradas das termelétricas foi articulado antecipadamente com Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), buscando o mínimo impacto possível ao setor. A redução no fornecimento de energia elétrica gerada por térmicas será de aproximadamente 3 mil megawatts durante o período da parada, ante uma capacidade total de geração térmica a gás natural no país de cerca de 15 mil megawatts e uma capacidade instalada total de geração, considerando todas as fontes, em torno de 170 mil megawatts (dados de capacidade do sistema obtidos no site do ONS”, explicou a estatal em comunicado ao mercado.

Vaga no conselho de administração

Em outro comunicado na noite desta sexta-feira, 4, a Petrobras informou que não há, ainda, data prevista para a nomeação de novo membro do Conselho de Administração em decorrência da vaga ocasionada pela renúncia do conselheiro Marcelo Gasparino da Silva. 

Segundo a estatal, a nomeação depende dos processos internos de governança corporativa, incluindo a verificação de integridade e de capacidade e gestão, além da avaliação pelo Comitê de Pessoas e, posteriormente, da apreciação pelo Conselho de Administração. 

Em esclarecimento à notícia do O Globo sob o título “A briga pela cadeira vaga no conselho da Petrobras”, a petroleira informou que até o momento os membros do Conselho de Administração indicaram Daniel Alves Ferreira e Pedro Medeiros Galvão de Medeiros, e que eles são os únicos candidatos a uma vaga no Conselho de Administração da Petrobras. 

A companhia divulgou também que Daniel Alves Ferreira não é mais membro do Conselho Fiscal da Petrobras. 

 

Whatsapp: 

Para receber notícias entre no grupo pelo link:

https://chat.whatsapp.com/JBmLNFUS8EgL4ACrqx93ub

Telegram

Para notícias entre nesse grupo: https://t.me/joinchat/AAAAAFdKtmVSmTmfF68jIA

Para análise gráfica entre nesse grupo: https://t.me/joinchat/AAAAAFk1BILf5KNH9DlQ3A

Published by
Redação

Recent Posts

Taesa aprova dividendos intercalares e JCP: valor soma R$ 523 milhões

    Publicado às 23h25   O conselho de administração da Taesa (TAEE11) aprovou nesta…

1 de dezembro de 2021

Ambipar lança aplicativo para pessoas físicas compensarem suas emissões de carbono

    Publicado às 23h55     A Environmental ESG, subsidiária da Ambipar (AMBP3), anunciou…

1 de dezembro de 2021

Notícias corporativas da noite desta quarta, 1°

    Atualizado às 23h33 com a notícia do dividendo da Taesa   Notícias corporativas…

1 de dezembro de 2021

Renova Energia conclui venda da Brasil PCH

    Publicado às 20h57     A Renova Energia (RNEW3; RNEW 4 e RNEW11),…

1 de dezembro de 2021

Aura anuncia dividendo de US$ 0,35 por ação e recompra de BDR

    Publicado às 20h30   O conselho de administração da Aura Minerals (AURA33) aprovou…

1 de dezembro de 2021

Cury aprova o pagamento de dividendo

  Publicado às 19h51   A Cury Construtora e Incorporadora (CURY3) informou que seu conselho…

1 de dezembro de 2021