Carteira administrada: o que você precisa saber

22 de junho de 2019 Por Redação

 

A importância de uma Carteira Administrada

Quando falamos em investimentos atualmente, com a chegada dos “Shoppings Financeiros” ou “plataformas abertas”, de alguns bancos e corretoras, a quantidade de produtos disponíveis para os investidores em geral é enorme. Renda fixa, CDBs, LCIs, LCAs, debêntures, tesouro direto, renda variável, COEs, ações, opções, futuros, moedas, fundos, entre outros, estão entre as mais variadas opções.

Mas qual é o melhor produto para cada tipo de investidor?

Nesse momento que entra em ação um serviço para escolha e execução dos melhores produtos dependendo do tipo de cada investidor. Isso mesmo, a carteira administrada é um serviço, e não um produto. O gestor não apenas diz o que o investidor deve fazer, ele tem a autorização para executar e gerir os recursos em seu nome.

E é exatamente isso que um gestor faz com o serviço de carteira administrada, uma solução de investimento para maximização dos resultados.

O gestor encontra os melhores produtos, de acordo com o perfil do cliente, nas diversas “plataformas”, para rentabilizar, da melhor maneira possível, a carteira de seus clientes.

Umas das grandes vantagens é que o investidor terá toda a rentabilidade dos melhores produtos selecionados para seu perfil, sem que o gestor se remunere através de comissões, spreads ou corretagens, eliminando assim qualquer tipo de conflito de interesses.  O gestor cobra apenas sobre o valor administrado, para realizar a análise, execução e monitoramento dos investimentos de forma personalizada.

Do ponto de vista de estrutura jurídica de investimento, a carteira administrada é semelhante a abrir uma conta na corretora e investir sozinho. Do ponto de vista da gestão profissional, é semelhante a ter um fundo de investimento exclusivo a disposição do investidor.

Se você já conhece um pouco do mercado de investimentos, provavelmente já tenha ouvido falar em fundos de investimento, que são aplicações onde o capital de vários investidores é agrupado para que possa ser gerenciado de forma conjunta por um profissional do mercado. De uma forma bem simples e objetiva, podemos dizer que uma carteira administrada é um “fundo de investimento” personalizado, feito para atender exclusivamente as necessidades e objetivos do detentor dos recursos. Em ambos os casos o investidor delega a administração dos recursos a um profissional, que deve seguir a política de investimento previamente aprovada por você, porém na carteira administrada a política de investimento é feita de maneira exclusiva e personalizada.

Podemos dizer que uma das grandes diferenças entre um fundo de investimento e a carteira administrada é quanto a participação do investidor.

Enquanto que nos fundos, o investidor adquire cotas que garantem a sua participação proporcional no fundo, os ativos financeiros adquiridos pelo fundo ficam atrelados ao CNPJ do fundo. No caso da carteira administrada acontece o inverso. Todos os ativos e movimentações são negociados no nome do próprio investidor e no seu CPF. É como se a pessoa estivesse gerenciando a sua própria conta sozinho, mas com um profissional competente fazendo isso por ela.

Uma vantagem desse modelo é que, na carteira administrada, o investidor tem total acesso a informações detalhadas sobre a composição da carteira, operações realizadas, custos envolvidos, além de receber relatórios gerenciais todos meses com rentabilidades, custos e impostos.

O serviço de carteira administrada se encaixa muito bem na vida de:

– Pessoas muito ocupadas e que não tem tempo para dedicar a cuidar de suas finanças

– Pessoas que não possuem a expertise ou conhecimento necessário para fazer uma gestão adequada de suas finanças

– Pessoas que já contam com o auxílio de algum profissional da área (gerente de banco/agente autônomo) mas que estão cansadas do modelo tradicional de investimentos e desejam mudar para um modelo mais alinhado com seus interesses.

Mais um benefício da carteira administrada é que o investidor não precisar executar as operações. Uma vez contratada a empresa de gestão de investimentos, essa passa a ter autonomia para fazer movimentações em nome do investidor, sempre dentro da política previamente acordada entre as partes e sob supervisão da CVM. Com isso, quem tem o dinheiro só se preocupa em avaliar resultados e não precisa perder tempo com os números, muitas vezes frenéticos, do mercado financeiro.

Basicamente o passo a passo para iniciar uma carteira administrada é:

– O investidor contrata uma empresa de gestão de valores mobiliários credenciada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

– O investidor preenche o questionário de “perfil do investidor” onde a gestora conhece melhor seus objetivos financeiros, projetos, necessidades, além de sua tolerância e capacidade de assumir risco. Saiba mais aqui.

– A gestora elabora um plano de investimentos, de acordo com o perfil do investidor, a ser discutido com o investidor e posteriormente seguido.

– Investidor e gestora assinam um contrato de prestação de serviço de gestão de investimento.

– A gestora passa a cuidar da carteira de investimento do cliente, tomando as decisões de compra e venda dos ativos financeiros.

Profissionais autorizados

Vale ressaltar que os profissionais de gestão de portfolios de ativos atuam como administradores terceirizados e para isso devem ter autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Essa autorização deve ser concedida tanto para o Gestor (Pessoa Física) como para a Gestora (Pessoa Jurídica).

Adicionalmente é preciso que a Gestora seja reconhecida pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), como associada ou aderente aos códigos de melhores práticas, e que o Gestor tenha Certificação de Gestores ANBIMA (CGA), sem os quais a Gestora não conseguiria funcionar.

Oportunidade

A carteira administrada pode ser uma oportunidade única para libertação e tranquilidade do pequeno investidor pois hoje ela já é acessível, em algumas gestoras modernas, com pequenos investimentos ou mesmo aportes mensais.

O que importa é o investidor ir atrás do que melhor se adequa ao seu perfil, buscar os melhores rendimentos, os melhores profissionais e literalmente “comprar sua tranquilidade”.

 

Esse texto foi produzido pela Fiere Investimentos. Acesse aqui e veja como funciona uma gestão profissional de investimentos.