Notícia da CSN, Sanepar, Duratex e da CBD

22 de Maio de 2019 Por Redação

 

CSN

A CSN (CSNA3) esclareceu à B3 que vem informando ao mercado sobre seu plano de redução do endividamento em suas teleconferências de divulgação de resultados.

Nesse sentido avalia diversas alternativas, que consideram, inclusive, a venda antecipada de minério de ferro por meio de estrutura de “streaming”.

A companhia confirmou que mantém tratativas com diversos grupos de investidores, sendo, neste momento, “prematura qualquer elaboração de cenários sobre o resultado deste processo”.

O esclarecimento ocorre depois de o jornal Valor Econômico, reportar que a “CSN negocia contrato de minério com chinesas Citic e Minmetals”. Na reportagem consta, entre outras informações, que a CSN tem ao menos dois interessados, as chinesas Citic e China Minmetals, já em tratativas avançadas com a empresa, pelo contrato de “streaming” e que o plano é levantar US$ 500 milhões com essa operação.

Sanepar

A Companhia de Saneamento do Paraná – Sanepar (SAPR11) informou que o Tribunal de Contas do Estado do Paraná, em reunião do Tribunal Pleno do Órgão, determinou pela fixação do “Reajuste Tarifário Anual de 2019” em percentual de 8,37%, a ser aplicado nas contas de água e esgoto.

“Em que pese a aplicação de índice parcial, a companhia informa que envidará esforços no sentido de demonstrar que o percentual de 12,13% aprovado pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar) atende aos preceitos estabelecidos na metodologia regulatória e reestabelecer o seu direito ao alusivo reajuste”, afirmou a empresa.

Duratex

A Duratex (DTEX3), maior empresa produtora de painéis de madeira industrializada, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul e líder no mercado brasileiro de pisos laminados, assinou contrato para aquisição de 100% da empresa Cecrisa Revestimentos Cerâmicos através da sua controlada Ceusa.

Fundada na década de 1970, a Cecrisa, uma das maiores empresas de revestimentos cerâmicos do Brasil com posicionamento no segmento premium, produz e comercializa produtos com as marcas Cecrisa e Portinari.

Com capacidade de produção de 20 milhões m²/ano, possui três unidades fabris no Brasil, sendo duas em Criciúma (SC) e uma em Santa Luzia (MG), e cerca de 1.700 colaboradores.

No exercício fiscal de 2018, registrou receita líquida de R$ 652 milhões e EBITDA ajustado de R$ 112 milhões.

O valor, sujeito à variação do capital de giro e da dívida líquida, é de até R$ 539 milhões em 22 de maio de 2019, e será composto por pagamento de R$ 264 milhões em dinheiro; e possível preço adicional de até R$ 275 milhões na hipótese de verificação futura de determinadas condições suspensivas.

O valor da dívida líquida da Cecrisa era de R$ 442 milhões em 30 de abril de 2019.

Com a transação, a Duratex espera capturar gradualmente sinergias operacionais e administrativas acima de R$ 250 milhões.

CBD

A Companhia Brasileira de Distribuição formalizou a renovação da contratação do Credit Suisse (Brasil) Corretora de Títulos e Valores Mobiliários para a prestação de serviços de formador de mercado de suas ações preferenciais (PCAR4) negociadas na B3, mediante celebração de um aditivo ao contrato que vigorará até 3 de maio de 2020, podendo ser prorrogado automaticamente por períodos sucessivos de 1 ano cada.

“O objetivo da operação é promover o melhor ambiente para negociação das ações da companhia, reforçando o compromisso com os investidores e com as melhores práticas de negociação no mercado”, afirmou a CBD.

Leia também:

Petrobras aprova modelo de venda adicional de participação na BR Distribuidora

Natura confirma compra da Avon

Acionistas da Liq querem AGE para deliberar sobre a destituição do atual Conselho de Administração

Peste suína africana pode ampliar venda de carne de porco para China

Anac aprova concessão da Air Europa para explorar voos domésticos