Ex-executiva da Vale na Petrobras, notícia da Cemig, Engie, da Multiplus e da Transmissão Paulista

24 de abril de 2019 Por Redação

 

Ex-executiva da Vale é a nova diretora de Executiva de Finanças e RI da Petrobras

O conselho de administração da Petrobras (PETR3, PETR4), em reunião realizada nesta quarta, 24, elegeu Andrea Marques de Almeida para o cargo de Diretora Executiva de Finanças e Relações com Investidores da companhia.

A posse da nova Diretora está agendada para o dia 02/05/2019. Andrea Almeida é engenheira de produção, com MBA em Finanças pelo IBMEC-RJ e MBA em gestão pela USP, além de cursos de gestão na Wharton School of Finance e na Sloan School of Management – MIT.

Atuou na Vale por 25 anos e tem experiência nas áreas de Finanças Corporativas, Tesouraria Global e Gerenciamento de Risco.

Entre 2015 e 2018 atuou como Chief Financial Officer (CFO) da Vale Canadá em Toronto, ocupando mais recentemente o cargo de Gerente Executiva de Tesouraria Global da Vale.

PDV da Petrobras

A Petrobras também informou que seu Conselho de Administração aprovou um novo Programa de Desligamento Voluntário – PDV. Serão elegíveis os empregados da Petrobras Controladora que estejam aposentados pelo INSS até junho de 2020, quando se encerram as inscrições. Para uma estimativa de participação de aproximadamente 4.300 empregados, o custo previsto para a implantação do Programa é de R$ 1,1 bilhão e o retorno esperado é de R$ 4,1 bilhões no período 2019-2023.

Multiplus

A Multiplus (MPLU3), no âmbito da Oferta Pública Unificada de Aquisição de Ações Ordinárias, informou que o pagamento do resgate da totalidade das ações ordinárias de emissão da companhia que remanesceram em circulação será realizado no dia 30 de abril de 2019.

A área de Relações com Investidores da companhia está disponível para esclarecimentos através do telefone (11) 5105-1847 ou através do endereço: [email protected]

Engie Brasil Energia

A Engie Brasil Energia (EGIE3) informou que a totalidade das centrais geradoras do Conjunto Eólico Umburanas Fase I está em operação comercial.

O início da operação comercial da última das 18 centrais eólicas de Umburanas I foi autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a partir desta quarta.

Umburanas I conta com 360 MW de capacidade instalada total e está localizada no Município de Umburanas, a aproximadamente 420 km da Cidade de Salvador, no Estado da Bahia, mesma região onde a companhia já opera comercialmente o Conjunto Eólico Campo Largo Fase I.

Com a entrada em operação comercial da totalidade de Umburanas I, o parque gerador da EBE passou a contar com 8.365,5 MW de capacidade instalada própria, composto por 59 usinas localizadas nas cinco regiões brasileiras.

Transmissão Paulista obtém licença do Ibama para Aimorés

A CTEEP – Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (TRPL4, TRPL3) informou que obteve a Licença de Instalação expedida pelo IBAMA referente às instalações da Interligação Elétrica Aimorés.

Esse é o empreendimento em construção do lote 4 do leilão de transmissão realizado em outubro de 2016, em que a Transmissão Paulista participa em parceria com a Transmissora Aliança de Energia Elétrica – Taesa (TAEE11), na proporção igualitária de 50%.

O empreendimento está localizado no estado de Minas Gerais e é formado pela implementação da linha de transmissão de 500 kV (208 km), que interligará a subestação Padre Paraíso 2 à subestação Governador Valadares 6, constituindo o segundo circuito entre essas subestações.

O investimento previsto é de R$ 341 milhões (Capex ANEEL) e Receita Anual Permitida (RAP) é de R$ 76 milhões para o ciclo 2018/2019.

O prazo estipulado pela ANEEL para energização é fevereiro de 2022.

Cemig conclui incorporação da Luce e da RME

A Cemig (CMIG4) concluiu os processos de incorporação de suas subsidiárias integrais Luce Empreendimentos e Participações (Lepsa”) e a RME – Rio Minas Energia Participações.

Com a extinção da RME e da Lepsa, ocorre, também, de forma imediata e automática, a perda de objeto e a extinção das obrigações assumidas no Acordo de Acionistas da Light, celebrado em 30 de dezembro de 2009 e aditado em 13 de novembro de 2018, afirmou a estatal mineira.

A Cemig aprovou a incorporação da RME e da Lepsa na Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 25 de março de 2019.

“Por se tratar de incorporação de subsidiária integral, não haverá aumento de capital, nem a necessidade de emissão de novas ações da companhia. Ressaltamos que tal incorporação não altera a participação da Cemig já detida no capital da Light”, explicou a Cemig.

Outros destaques

Análise do Ibovespa, dólar, Petr4, Vale3, Elet3, Itub4, Eztc3 e de outros papéis

Câmara cria comissão especial para discutir reforma da Previdência

Linx vai pagar dividendos

GPA registra alta nas vendas no 1T19