Block trade do Pine, Eletrobras nega acordo e notícia da Cemig

1 de dezembro de 2017 Por Redação

Publicado às 22h09

Block Trade do Pine

O Banco Pine (PINE4) informou nesta sexta, 1° de dezembro que, com o objetivo de buscar o reenquadramento do free float mínimo de 25% do seu capital social, tem a intenção de vender um lote mínimo de 2.610.615 ações preferenciais e máximo de 6.302.860 ações preferenciais, equivalentes respectivamente a 2,15% e 5,20% de participação no total de ações, com o preço mínimo de R$ 3.

A Santander Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários vai coordenar a operação por meio de processo de block trade.

As ações objeto da alienação serão oriundas da tesouraria e partes relacionadas ao acionista controlador.

O edital da oferta será publicado até o dia 12 de dezembro de 2017, e o leilão se encerrará até o dia 14 de dezembro de 2017, no máximo.

“Com o sucesso desta operação, haverá um período de 180 dias de lock-up da venda de ações por parte do controlador, administradores e partes relacionadas”, explicou o Banco em fato relevante.

Eletrobras sobre suposto acordo com AAE Management: ‘não é verídico’

A Eletrobras (ELET6, ELET3) afirmou que o suposto acordo bilionário que teria feito com uma joint venture internacional denominada AAE Management LLC, não é verdadeiro.

A notícia foi divulgada pela imprensa.

“Não é verídica, não tendo a Eletrobras conhecimento sobre as referidas dívidas referentes a títulos vencidos pela Companhia, conforme informações divulgadas, e tampouco sobre qualquer acordo judicial ou extrajudicial com a referida joint venture”, enfatizou a empresa.

“Neste sentido, é importante esclarecer que algumas instituições, inclusive no exterior, possuem ou adquirem, de terceiros, de forma equivocada, apesar de todos os alertas já realizados pela Companhia em seus relatórios e website, cautelas de Obrigações ao Portador, que se encontram integralmente prescritas e são inexigíveis”, esclareceu a Eletrobras.

Segundo a estatal, as Obrigações ao Portador da Eletrobras foram emitidas para dar quitação ao Empréstimo Compulsório, para período específico. “A prescrição das Obrigações ao Portador da Eletrobras foi confirmada por julgamento proferido pelo Superior Tribunal de Justiça e é de observância obrigatória e vinculante a todos os tribunais judiciais brasileiros”, explicou em comunicado ao mercado.

Cemig divulga resultado do direito de preferência da subscrição

A Cemig comunicou nesta sexta que se encerrou em 29/11/2017, o prazo de exercício do direito de preferência para a subscrição de ações relativas ao aumento de capital aprovado na Assembleia Geral Extraordinária realizada em 26/10/2017, e que obteve, até o momento, uma entrada de capital no caixa da companhia, no montante de R$1,1bilhão.

“Durante o período de exercício do direito de preferência, foram subscritas 50.106.730 ações ordinárias, representando 74,95% da proposta de emissão e 118.949.754 ações preferenciais, representando 89,39% da proposta de emissão”, explicou a empresa.

Segundo a companhia, não foram subscritas, no referido prazo, 16.742.775 ações ordinárias e 14.111.688 ações preferenciais (sobras). Leia mais detalhes aqui. 

Leia também:

Ez Tec vai pagar dividendos de R$ 2,67 por ação

Ambev vai pagar JCP de R$ 0,26 por ação