Entenda como funcionam os Fundos de investimento imobiliário

13 de novembro de 2017 Por Redação

 

19102010317

 

O que é um FII?

As três letras acima identificam um tipo de Fundo que permite investir em imóveis sem precisar comprar um imóvel. E o investidor não tem de pagar Imposto de Renda.

O artigo de hoje vai explicar como funcionam, as vantagens e os riscos dos Fundos de Investimento Imobiliário (FII).

Como funcionam?

Você já imaginou ser dono de uma parte de um shopping, ou de um edifício? O FII permite isso. De que forma? Bem, como todo Fundo, é uma comunhão de recursos. Só que o dinheiro arrecadado com as venda das cotas é destinados à aplicação em ativos relacionados ao mercado imobiliário. Cabe ao administrador, geralmente um banco, constituir o fundo e realizar a captação de recursos junto aos investidores através da venda de cotas.

A quantia captada é destinada à aquisição de imóveis rurais ou urbanos, construídos ou em construção, destinados a fins comerciais ou residenciais.

Pode ser usada também bem para a aquisição de títulos e valores mobiliários ligados ao setor imobiliário, tais como cotas de outros FIIs, Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), ações de companhias do setor imobiliário etc.

Como é a remuneração?

Todos os meses os FIIs divulgam o chamado Pagamento de Proventos, ou Distribuição de Proventos. Nesse documento informam quanto cada cotista vai receber no mês (os pagamentos geralmente são mensais, afinal você está recebendo o dinheiro do aluguel).

No momento em que esse artigo é redigido existem 131 Fundos de Investimento Imobiliários listados na Bovespa (clique aqui para acessar a lista).

Pegamos um deles, acessamos o Pagamento de Proventos e vimos que o Fundo pagou 0,9 centavos por cota em outubro de 2016. Ou seja, o cotista recebeu em sua conta corrente 90 centavos, caso possuísse apenas uma cota. Os que têm 10 cotas, receberam 9 reais. Quem tem 100 cotas, 90 reais. O investidor com 1000 cotas, ganhou 900 reais. Só que no começo de outubro, para ter 1000 cotas era necessário investir 81 mil 890 reais no Fundo em questão.

Estratégia

Nesse ponto da leitura você já deve ter percebido que a melhor estratégia é aproveitar para comprar quando as cotas desses fundos estão com preço em queda.

As cotas do Fundo a que nos referimos acima valiam 68 reais no começo de 2016. Para adquirir 1000 cotas, eram necessários 68 mil reais, uma economia 13.890, reais em relação a quem comprou em outubro do mesmo ano.

Leia o prospecto e o regulamento

Antes de investir é importante ler o prospecto do FII. Esse documento apresenta de forma destacada as principais informações para o investidor contidas no regulamento, tais como: política de investimento, os principais direitos e responsabilidades dos cotistas e administradores, assim como quaisquer outras informações necessárias para uma tomada de decisão mais consciente por parte dos investidores, como os riscos envolvidos.

O investidor deve ler também o regulamento. Esse é o documento de constituição do fundo. Nele estão estabelecidas todas as informações e as regras essenciais relacionadas à administração; ao prazo de duração, se determinado ou indeterminado; à gestão; aos prestadores de serviço; à política de investimento, entre outras.

Leia também:

O que é melhor: imóvel ou FII?

 

 

 

 

 

O artigo foi redigido com base na opinião de especialistas consultados pela reportagem. Esse portal não faz qualquer tipo de recomendação de investimento e não se responsabiliza por perdas, danos diretos ou indiretos e lucros cessantes resultantes de decisões tomadas a partir de seu conteúdo, gráficos, tabelas ou vídeos.

Procure sempre um profissional certificado por entidade reguladora para obter recomendações, análises ou consultoria sobre investimentos financeiros. Para mais detalhes acesse o site da Comissão de Valores Mobiliários: www.cvm.gov.br

Para veicular esse artigo é preciso autorização do Finance News.