Não deixe de ler

Mais um problema para a JBS: agora nos EUA

 

 

Mais um problema ameaça o império da JBS nos Estados Unidos. O R-CALF USA, uma espécie de sindicato de pecuaristas, relata que enviou uma carta ao presidente Donald Trump.

A entidade solicitou ao chefe de estado americano uma investigação sobre a JBS.

Além disso pediu a alienação de seus ativos baseados naquele país caso seja comprovado que a companhia construiu seus negócios de forma ilegal.

O R-CALF argumenta que a empresa influenciou agentes reguladores e membros do Congresso americano para afrouxar regulamentações no país.

A entidade também acusa a empresa dos irmãos Batista de manipular a queda do preço do boi gordo em mais de US$ 850 por cabeça de gado entre 2015 e 2016.

Moody’s rebaixa JBS em dois níveis

A agência de classificação de risco Moody’s, uma das principais do mundo, rebaixou em dois níveis, nesta sexta-feira, a nota de crédito da JBS (JBSS3). O “rating” passou de “Ba3” para “B2” e continua sob revisão para possível novo rebaixamento, afirmou a Moody’s.

JBS na mira do governo

O Governo Federal articula uma reação contra grupo JBS em três frentes. É o que afirma o jornal O Globo nesta sexta-feira. Segundo a publicação, o Planalto atua em frentes como punição mais rígida da CVM e cobrança de dívidas do INSS. Além disso, bancos públicos teriam suspendido créditos ao grupo e

vão exigir garantia na renegociação de dívidas.

As reação do governo ocorre após a delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista, que comprometem o presidente Michel Temer, e desencadearam a partir de maio a nova etapa da crise política.

Operação da PF apura uso indevido de informações privilegiadas pela JBS

A Polícia Federal (PF) deflagrou na sexta-feira (9) a Operação Tendão de Aquiles para apurar se houve uso indevido de informações privilegiadas por parte das empresas JBS Participações e FB Participações em transações de mercado financeiro ocorridas entre abril e maio deste ano. A ação é coordenada em conjunto com a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O grupo J&F é o controlador das duas empresas.

A PF cumpre três mandados de busca e apreensão nas empresas do grupo JBS e quatro mandados de condução coercitiva, expedidos pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo, a pedido da Polícia Federal. O inquérito policial foi instaurado em 19 de maio, após a PF ter conhecimento do Comunicado ao Mercado nº 02/2017 da CVM, que tornou pública a instauração de cinco processos administrativos para apuração desses fatos.

A investigação da Operação Tendão de Aquiles apura dois eventos: a venda de ações de emissão da JBS S/A na bolsa de valores, por sua controladora, a empresa FB Participações S/A, no final do mês de abril; e a compra de contratos futuros de dólar na bolsa de futuros e a termo de dólar no mercado de balcão, entre o final de abril e meados de maio de 2017.

No primeiro caso, o período foi concomitante ao programa de recompra de ações da empresa, reiniciado em fevereiro de 2017. Já no segundo evento, de acordo com a PF, há indícios de que essas operações ocorreram com o uso de informações privilegiadas, “gerando vantagens indevidas no mercado de capitais num contexto em quase todos os investidores tiveram prejuízos financeiros”, informa a nota da PF.

Os investigados poderão ser responsabilizados pelo crime previsto no Artigo 27-D da Lei 6.385/76, que acarreta penas de um a cinco anos de reclusão e multa de até três vezes o valor da vantagem ilícita obtida.

A PF e a CVM atuam em cooperação desde 2010, quando foi firmado um acordo entre as duas instituições, para combater atos ilícitos contra o mercado de capitais.

Em nota, a JBS afirmou que entregou todos os materiais e documentos solicitados. “A companhia segue colaborando e está à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos necessários”, informou.

Sobre à compra e venda de moedas, ações e títulos, a JBS afirmou que todas as operações seguem a regulamentação do setor. “As operações de compra e venda de moedas, ações e títulos realizadas pela J&F, suas subsidiárias e seus controladores seguem as leis que regulamentam tais transações”.

Em relação às operações de câmbio, a JBS diz que gerencia de forma minuciosa e diária a sua exposição cambial e de commodities. “A empresa tem como política a utilização de instrumentos de proteção financeira visando, exclusivamente, minimizar os seus riscos cambiais”, completou.

 

Com Finance News e Agência Brasil

 

 

Published by
Redação

Recent Posts

Companhias que divulgaram informações sobre dividendos e JCP na semana

      A seguir confira as companhias da B3, a Bolsa brasileira, que divulgaram…

27 de novembro de 2021

Notícias corporativas da noite desta sexta, 16

  Publicado às 21h18   Notícias corporativas da noite desta sexta, 16 (clique nos links…

26 de novembro de 2021

Acionistas controladores da Alliar aceitam proposta feita pela MAM

    Publicado às 20h56     Os acionistas controladores da Alliar (AALR3) aprovaram aceitar…

26 de novembro de 2021

Cade aprova aquisição da  Zee.Dog pela Petz

    Publicado às 20h41   A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade)…

26 de novembro de 2021

Petrobras assina arrendamento de usina TermoCamaçari para Proquigel

Publicado às 20h33   A Petrobras (PETR3, PETR4) informou na noite desta sexta, 26, que…

26 de novembro de 2021