Educação financeira: seu bolso agradece

8 de setembro de 2017 Por Redação

 

img_0819-2

 

As pessoas se preocupam com a saúde, com o trabalho, com o lazer. Mas, na média, os brasileiros não demonstram muita preocupação em lidar bem com as finanças.

Pense rápido: quantos amigos ou conhecidos seus têm uma noção dos diversos tipos de investimentos financeiros que há no mercado? Quantos se preocupam não só em poupar de forma eficaz mas em obter boa rentabilidade com o dinheiro economizado?

Os riscos da falta de educação financeira

Uma recente pesquisa nacional do Procon revelou que a faixa etária mais endividada vai dos 20 aos 50 anos. Talvez essa seja a face mais visível da falta de educação financeira: sem planejamento dos gastos, o salário não é suficiente para pagar as contas e surgem as dívidas.

Existe ainda outro lado negativo de não fazer bom uso do dinheiro. É não saber fazer um investimento que traga boa rentabilidade. Muitos brasileiros investem em títulos de capitalização e poupança, dois produtos que estão entre os piores em termos de retorno.

Onde aprender

A internet é uma excelente ferramenta para entender um pouco mais sobre os diversos produtos financeiros que estão no mercado. Acesse o site da Comissão de Valores Mobiliários, a entidade que fiscaliza o mercado financeiro, e veja os blogs dedicados à educação financeira.

Dê uma olhada no site de seu banco e leia os prospectos dos vários fundos de investimento. Anote as dúvidas e leve para seu gerente explicar, ou o profissional que lhe assessora nesses assuntos.

Passe em uma livraria e compre livros sobre finanças pessoais. Existem excelentes autores que explicam tudo de forma bem acessível.

Se você quer entender como funcionam os títulos do tesouro, acesse o site do Tesouro Direto. Lá vai verificar que esse tipo de aplicação não é um bicho de sete de cabeças e pode ser uma boa alternativa para quem investe no longo prazo.

Quem sabe mais, escolhe melhor

Você não precisa ser um especialista em finanças para obter rentabilidade acima da inflação com suas aplicações. Bastam algumas horas de dedicação semanal em leituras e entenderá como funcionam as principais modalidade de investimento, entre elas CDB, Títulos do Tesouro, Fundos de Investimento.

Se quiser investir na Bolsa de Valores o ideal é fazer um curso antes pois esse tipo investimento tem maior risco. Há vários cursos on-line disponíveis no mercado.

Ao aprender mais, será capaz de escolher melhor. Irá saber também as perguntas que deve fazer antes de aplicar o dinheiro em algum produto financeiro. Questione se a modalidade tem taxa de administração e qual o valor; se são cobradas outras taxas (performance, ingresso, saída); qual é o risco do investimento; qual é o prazo de resgate e como foi o desempenho até o momento.

Investir em educação financeira é fundamental para tomar decisões mais qualificadas com relação ao seu dinheiro. Então, que tal começar agora?

 

 

O artigo foi redigido com base na opinião de especialistas consultados pela reportagem. Esse portal não faz qualquer tipo de recomendação de investimento e não se responsabiliza por perdas, danos diretos ou indiretos e lucros cessantes resultantes de decisões tomadas a partir de seu conteúdo, gráficos, tabelas ou vídeos.

Procure sempre um profissional certificado por entidade reguladora para obter recomendações, análises ou consultoria sobre investimentos financeiros. Para mais detalhes acesse o site da Comissão de Valores Mobiliários: www.cvm.gov.br

É expressamente vedada a reprodução deste artigo sem autorização expressa do Finance News.