Como deve ser o nome da minha empresa?

6 de junho de 2017 Por Redação

screenshot_11

 

Se você está querendo entrar no universo do empreendedorismo e abrir uma empresa, mais cedo ou mais tarde vai se deparar com a pergunta: qual nome devo dar para minha companhia? Pode parecer apenas um detalhe, mas um bom nome é estratégico.

Que tal Executek em vez de Apple?

É normal ter dificuldade para escolher um nome. Gênios quando se depararam com esse momento também enfrentaram indecisão e incerteza até baterem o martelo. Antes da Apple ser batizada, Steve Jobs e Steve Wozniak pensaram em chamar a empresa de Matrix, Executek, além de outros termos mais ‘techs’ como Personal Computer. Em meio às dúvidas e já no fim do prazo, Jobs propôs “Apple Computer”.

Pode ser que Jobs tivesse tido esse insight porque dias antes de decidir pelo nome esteve na fazenda de um amigo, onde participou de podas de macieira. “Eu estava seguindo na época uma dieta a base de frutas e tinha acabado de voltar de um pomar de macieiras. Parecia um nome engraçado, vivo, que não intimidava. “Apple” suavizava a palavra computador. Além disso, ela viria antes de Atari na lista”, afirmou Jobs.

E Integrated Electronics em vez de Intel?

Outras marcas que hoje são gigantes e estão no nosso dia a dia também tiveram nomes diferentes logo que começaram.

Veja o caso da fabricante do processador Intel. Inicialmente a empresa chamava-se NM Electronics. As letras referiam-se aos nomes dos fundadores, Robert Noyce e Gordon Moore. Realmente, nada muito criativo.

Houve inúmeras sugestões pouco memoráveis, entre as quais Electronic Solid State Computer Technology Corp. Eles acabaram optando por Integrated Electronics, que poderia ser resumido por Intel. E assim ficou: um nome simples, fácil de falar e lembrar.

A Microsoft já foi ‘Micro-Soft’

Em 1975 quando Bill Gates e Paul Allen fizeram o primeiro contrato com a empresa Mits para fornecer o BASIC para o computador Altair, discutiram que precisavam dar um nome a empresa. O primeiro cogitado foi óbvio: ‘Allen & Gates’. A dupla chegou à conclusão que parecia nome de escritório de advocacia. Concluíram que precisavam de algo que transmitisse a ideia da atividade fim da empresa deles: escrever programas para computadores. Nos documentos do contrato com a Mits eles se identificavam como ‘Bill Gates e Paul Allen, comercialmente Micro-Soft’. Dois anos depois as duas palavras viraram Microsoft.

Você quis dizer Googol?

Ironia do destino é ter procurado o nome do Google na internet. Pouca gente sabe, mas o nome do gigante das buscas foi resultado de um erro de digitação. Sean Anderson, um colega de quarto de Larry Page tinha sugerido o nome Googolplex, em alusão ao googol, que representa o número 1 seguido de cem zeros. A ideia surgiu devido ao grande volume de dados com os quais o Google lidava desde então. Page trocou, sem querer, algumas letras na hora de procurar se o nome já estava sendo usado e o resultado não poderia ter sido melhor. O nome Googol, a propósito, já estava sendo usado.

Antes de se chamar Google, o nome da empresa era BackRub. O nome The Whatbox, também havia sido cogitado, mas foi deixado de lado porque o som lembrava uma palavra em inglês para o órgão genital feminino. Hoje em dia, é estranho pensar em alguém “jogando uma dúvida no BackRub” ou “fazendo uma pesquisa no The Whatbox”.

Os exemplos das grandes marcas mostram que escolher um nome adequado não é uma tarefa fácil e requer um pouco de pesquisa e muito “brainstorming”. É preciso procurar um nome original, fácil de pronunciar e de lembrar. A boa notícia é que, como vimos, ninguém precisa acertar de primeira.

 

 

É proibida a publicação desse artigo sem a autorização do portal Finance News. Se você viu algum erro na reportagem ou se quiser fazer um comentário (sugestão, crítica) para que possamos aprimorar nosso serviço, escreva para reportagem@financenews.com.br