Lucro da Hypermarcas cresce 168% e Ambev não espera atingir meta de receita líquida estável em 2016. Veja os destaques

28 de outubro de 2016 Por Redação

A noite de sexta-feira teve resultado trimestral de Hypermarcas, comunicado de Ambev e da Light. Confira:

 

Lucro da Hypermarcas aumenta 168%

A Hypermarcas (Hype3) divulgou seu resultado trimestral. O Lucro Líquido da companhia foi de R$ 202,5 milhões no 3T16, aumento 168,7% em relação ao 3T15. No ano, o aumento do Lucro Líquido em 400,9% para R$1 bilhão 387 milhões inclui o impacto do ganho de capital relacionado à venda do negócio de Cosméticos, finalizada no 1T16.

O EBITDA das Operações Continuadas foi de R$ 255,5 milhões no 3T16, crescimento de 14,3% em relação ao 3T15. Já a receita líquida da empresa cresceu 9,8% no trimestre em relação ao 3T15, totalizando R$811,0 milhões. Nos 9M16, esse crescimento foi de 11,1%, em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Confira o relatório completo aqui.

 

Ambev: ‘não mais esperamos atingir nossa meta de receita líquida estável em 2016’

A Ambev alterou o critério de apresentação de suas projeções para o ano de 2016. A empresa afirma que “não mais esperamos atingir nossa meta de receita líquida estável no Brasil para o ano de 2016, dadas as incertezas do cenário macroeconômico do Brasil e uma difícil base de comparação da receita por hectolitro com o 4º trimestre de 2015”.

Por causa disso, a companhia decidiu descontinuar a divulgação da projeção sobre receita líquida no Brasil para 2016. A Ambev ressaltou que continua esperando: CPV (custo dos produtos vendidos), excluindo depreciação e amortização, no Brasil com crescimento entre um dígito médio e um dígito alto no ano; SG&A (despesas com vendas, gerais e administrativas), excluindo depreciação e amortização, no Brasil com crescimento de um dígito baixo no ano; e CAPEX no Brasil inferior aos níveis de 2015.

 

EDF quer comprar usina da Light 

A Light firmou compromisso de exclusividade com a EDF para análise de potencial transação relacionada à aquisição da participação de 51% no capital social da usina hidrelétrica Itaocara, detida indiretamente pela Light por meio de sua subsidiária integral Itaocara energia.

A concretização da transação estará sujeita à obtenção de todas as aprovações regulatórias necessárias e demais condições precedentes usuais para esse tipo de operação. A Companhia esclarece que “a decisão está coerente com a sua postura de constante reavaliação de alternativas estratégicas para seus ativos não operacionais e/ou não relacionados às suas atividades principais”.

 

Sabesp quer encerrar disputa judicial

A Sabesp (SBSP3) informou em fato relevante que celebrou um Instrumento Particular de Transação e Outras Avenças com a EMAE (Empresa Metropolitana de Águas e Energia). O objetivo é encerrar litígios envolvendo as duas companhias.

Com a celebração do acordo a Sabesp se comprometeu a pagar à EMAE R$ 6.610.000,00 (seis milhões, seiscentos e dez mil reais) anuais, corrigidos monetariamente desde a data da assinatura deste instrumento, pelo IPCA ou outro índice que vier a substituí-lo. O primeiro pagamento será em outubro de 2017 e o último pagamento em outubro de 2042.

Além disso, vai pagar também R$ 46.270.000,00 em cinco parcelas anuais e sucessivas, corrigidas monetariamente pelo IPCA ou outro índice que vier a substituí-lo, sendo a primeira parcela de R$ 9.254.000,00 (nove milhões, duzentos e cinquenta e quatro mil reais) com vencimento em 30.04.2017 e as demais em 04 parcelas de igual valor, com vencimento todo dia 30 do mês de abril dos anos subsequentes, ou no primeiro dia útil seguinte.”